Blog


pai-criancas-brincando-1354205890862_615x470
23 fev, 201619 | Blog » Notícias » Para Sua Criança

O PROJETO PLAY: Brincadeira e Linguagem para crianças pequenas no espectro autista – Primeiros ensaios.

O projeto Play consiste fundamentalmente em uma modelo de intervenção precoce intensiva para crianças autistas, baseado no brincar. É o primeiro modelo de intervenção indireta (através dos pais) fundamentado no desenvolvimento e relacionamento social e baseado em evidências científicas.

Conheci o projeto Play em 2014, quando Dr. Richard Solomon, diretor clínico do Play Project e do Centro Pediátrico de Ann Arbor – Michigan, esteve no Brasil ministrando um workshop que inauguraria a parceria de implantação do Play em nosso país.

Nessa ocasião pude verificar que essa metodologia de intervenção indireta (através dos pais) se refere a uma abordagem que está em perfeita consonância com a prática em clínica de linguagem que exerço e, que esta pode ser um importante recurso para a promoção do desenvolvimento de crianças com TEA juntamente com as demais intervenções clínicas necessárias. O projeto Play tem suas bases teóricas no modelo DIR – Floortime de Stanley Greenspan e assim visa à construção do conhecimento através da brincadeira.

“O Projeto Play utiliza o paradigma de desenvolvimento e de diferenças individuais, baseado nas relações (developmental, individual-differences and relationship-based framework – DIR) de Greenspan, que descreve seis níveis de desenvolvimento funcional (funcional developmental levels – FDLs) de crescente complexidade, por meio dos quais as crianças podem adquirir a capacidade de se relacionar plenamente com os outros.” (SOLOMON, R. 2014)

O Play consiste em uma abordagem intensiva (em torno de 20h por semana) onde atividades divertidas e prazerosas são desenvolvidas entre pais e filhos em curtos períodos ao longo do dia. Segundo o método as atividades são conduzidas pela criança e o foco deve estar na interação. Nessa abordagem considera-se que o reforço é a diversão e que esse caráter naturalista proporciona maiores possibilidades de generalização. De maneira lúdica e divertida pretende-se atuar no déficit principal: comunicação e socialização.

Pais e filhos são acompanhados regularmente por um profissional certificado no modelo Play. Este atuará como um mediador apto a ensinar os pais a usar os princípios e estratégias do método para estimular a criança a se divertir e assim, aprender e se desenvolver.

The Play Project Brasil está se desenvolvendo a todo vapor e, em breve teremos essa metodologia implantada por profissionais certificados em vários estados do nosso país.

 

Referências:

Solomon, R. O PROJETO PLAY: Um modelo de treinamento de formadores de intervenção precoce para crianças com transtornos do espectro do autismo. In: Schmidt, C. (org.) Autismo, Educação e Transdisciplinaridade. Campinas: Papirus, 2014.

http://www.playproject.org/research-evidence/

 

Todo o conteúdo deste Blog que é protegido contra copyright e são proibidas reproduções totais ou parciais sem autorização da autora.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *